Artesanato produzido na Penitenciária de Arroio dos Ratos será exposto em eventos do município

Talvez você não saiba, mas boa parte dos cerca de 690 detentos que cumprem pena em regime fechado na Penitenciária Estadual de Arroio dos Ratos (PEAR), trabalha. Os serviços de manutenção da unidade (corte da grama, pinturas e limpeza) é todo realizado pelos próprios apenados.

Além disso, 132 deles realizam trabalhos manuais de artesanato. “Cada 3 dias efetivamente trabalhados, garantem 1 dia a menos no cumprimento da pena.” – explica o diretor Cristian Colovini.

A produção dos artesanatos é estimulada pela equipe da PEAR, como forma de diminuir o tempo ocioso e serve, também, para custear a vida da família dos detentos. “Alguns deles já chegam aqui com algum conhecimento na área ou são ensinados pelos que já trabalham com artesanato.” – conta a agente penitenciária administrativa, Margarete Braganholo, uma das grandes incentivadoras do projeto.

Pensando em dar maior vasão à produção dos apenados, a coordenadora de Cultura de Arroio dos Ratos, acompanhada pela equipe da Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal, visitou o local para conhecer o trabalho. “É um belo projeto que precisa ser conhecido pela comunidade, para desmistificar a ideia que se tem sobre a cultura prisional.” – disse Cristina Tricot, ao garantir parceria para exposição do material, em alguns eventos como a Feira do Livro 2015.

 foto_00

O material utilizado na confecção dos trabalhos é fornecido pelos próprios familiares, em dia de visita. Tecidos, linhas, papel, papelão, sabonetes, tudo é reaproveitado e se transforma em barcos, abajour, enfeites, porta-joias e outros produtos que, depois, são levados para venda pelos parentes.

As psicólogas da unidade prisional, Vanessa Vieira e Pâmela Georg, falam sobre o trabalho: “Eles interagem, aprendem a trabalhar em equipe, se ajudam e isso os motiva para um trabalho pós penitenciária.” – comentam.

Durante a conversa, os visitantes também estiveram em algumas das 8 galerias da PEAR, conhecendo as cozinhas em que os apenados preparam a comida para toda a unidade e tomaram café com o pão que chega congelado e é assado no local, pela equipe de trabalho, organizada em 3 grupos diferentes.

No total, 263 detentos estão diretamente envolvidos em algum tipo de trabalho dentro do programa de redução de pena.

Fotos de alguns dos trabalhos artesanais produzidos estão em nossa página oficial no Facebook, confira:

https://www.facebook.com/media/set/?set=a.478766175614874.1073741904.155457374612424&type=3&uploaded=47

FacebookTwitterGoogle+